seguidores

4 de junho de 2009

*dança - Admilson Maia em oficina


COMEÇO - os alunos alongam pra começar os exercícios | imagem: Val da Costa

texto e fotos: Valdívia Costa

Trocar de posição milhares de vezes, deitar, levantar, rolar, subir, descer, pular, se encolher, se jogar, rodar, virar de ponta cabeça, e suar até o esgotamento. Esses são apenas alguns dos exercícios aparentemente cansativos do método da exaustão, utilizado pelo bailarino, coreógrafo e arte-educador Admilson Maia na oficina de preparação corporal para atores, com duração de um mês, no Centro de Cultura e Arte, antigo prédio do Museu de Arte Assis Chateaubriand (Maac). Cerca de 15 alunos montarão um ensaio aberto com uma coreografia própria no final do curso, prevista para este mês.

Há muitos anos atuante na dança, o coreógrafo voltou a aparecer no cenário cultural paraibano. Admilson realizou seu último espetáculo em 2007, chamado Fhomi, um solo de dança contemporânea produzido pela Mah Cia. de Dança. O espetáculo repele "todas as postulações teóricas que insistem em recortar da arte a vida", como descreve o release.

Admilson contou outra grande novidade: voltar à parceria com o colega Romero Mota, que atualmente é DJ também. Romero fundou a Mah Cia. com Admilson e os dois andam confabulando projetos de montarem ouros espetáculos juntos. Essa dupla representou competentemente o que houve de moderno da década de 1990 na dança paraibana. Mostraram projetos desenvolvidos em Campina por toda a Europa. Esse retorno da união entre duas cabeças pensantes da dança contemporânea é mais do que animador, é importante para a cidade.

Já a oficina realizada por Admilson está na segunda semana de atividades e sem nenhuma desistência dos alunos, apesar de estarem trabalhando o corpo duas vezes por semana com o método. Admilson já trabalhou com diretores como Giselle Tápias (RJ), Márika Gidale e Décio Otero (Balé Stagium de São Paulo), Moncho Rodrigues (Espanha), Phillip Sairre (Suíça), entre outros. A realização da oficina é da coordenadoria de Arte e Cultura da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).







O coreógrafo garante, o método da exaustão aguça as sensibilidades e faz emergir as diversas sensações da qual o ator ou bailarino necessita para a criação e condução das personagens


Exaustão - A técnica é utilizada pelo encenador espanhol Moncho Rodrigues, a partir das teorias do Work in Progress, de Renato Cohen, e a Teoria das Inteligências Múltiplas - que é a inteligência da corporalidade cinestésica - de Howard Garden, além do método da 'subtração', de Jerzy Grotowski, entre outros. O trabalho usa o treinamento que rompe bloqueios e condicionamentos. Os elementos dos exercícios são os mesmos para todos, mas a investigação é individual, dependendo da corporeidade e da personalidade de cada um.

Mah Cia. - Um dos espetáculos mais marcantes e comentados apresentado pela Mah Cia., quando era formado pela dupla Admilson e Romero foi 'Desejos', no qual o amor é mostrado em todas as suas formas, inclusive as que existem à margem do aceitável socialmente. A dança fez entender a complexidade que todo relacionamento desencadeia.

A história - A Mah Cia. de Dança surgiu em 1995, criada pelos bailarinos Romero Motta, Almir Almeida e Admilson Maia. Neste mesmo ano, o grupo participou da IV Mostra de Teatro e Dança da Paraíba, na qual ganhou os prêmios de melhor espetáculo, iluminação, trilha sonora, bailarino (Romero Motta), direção (Romero, Almir e Admilson) e bailarino revelação (Admilson Maia). Tudo isso somente com o espetáculo 'Desejos'.

Em 1998, na VI Mostra Estadual de Teatro e Dança, com o espetáculo 'Alvará', recebeu os prêmios de melhor bailarino (Romero Motta), trilha sonora, cenografia, iluminação, direção, espetáculo de dança e coreografia. O mesmo espetáculo, no ano seguinte, obteve no IV Fenart os prêmios de melhor bailarino (Admilson Maia), iluminação, espetáculo e cenografia. Além de temporadas em Campina, a Mah Cia. participou, entre outros, do Festinart (Natal-RN), Festival de Dança do Recife (PE), Mostra de Artes Cênicas, a convite da Rede Brasil para o Via Bahia, Projeto Circulando a Cultura pelo Brasil, SESC Ipiranga (SP) e Mundão (a convite do SESC Santo Amaro-SP).

contato: mahciadanca@gmail.com

Um comentário:

Toninho disse...

Super interessante a possibilidade de ver Romero e Admilson Maia juntos outras vez.
Na verdade dentro desta inércia nociva, Campina só ganha com iniciativas de artistas como eles.
Quando sairemos deste torpor maldito?
Abraços.