seguidores

5 de novembro de 2009

* música - Zabé da Loca na FEIRA MÚSICA BRASIL 2009


ÍMPAR - Zabé foi a única artista da Paraíba a ser selecionada para tocar na Feira, evento de grande porte, do Recife, que selecionou um número altíssimo de pernambucanos | imagem: Val da Costa

por Valdívia Costa

Ponto de encontro do mercado da música atual, a Feira Música Brasil 2009, evento que será realizado em Recife (PE) no final do ano, terá a presença marcante da pifeira paraibana Zabé da Loca. Não se iludam, essa senhora de 85 anos de idade ainda tem muito o que mostrar e a força da sua arte desbancou todos os trabalhos contemporâneos musicais da Paraíba. Dentre os 800 trabalhos inscritos na Feira, apenas 24 artistas (33%) foram selecionados e só Zabé representa o Estado.

O resultado da participação nusical foi divulgado na última quinta-feira, dia 29, pelo Ministério da Cultura (MinC), por meio da Fundação Nacional de Artes. A lista de bandas e músicos selecionados para se apresentarem no evento foi publicada no Diário Oficial da União (Seção 1, páginas 19 e 20). Além de um cachê de R$ 4 mil, os selecionados receberão passagem, estadia e estarão em contato com artistas de renome. Confira a lista completa dos artistas selecionados.

Muito mais anos de vida para nossa guerreira do pife e da loca nos Cariris do assentamento Santa Catarina, em Monteiro. O resultado foi merecido para ela, mas vale ressaltar o descuido do MinC nessa seleção com a multidão participante. Para que fazer tantas inscrições sem a intenção de utilizar, ao menos, uns 40% dos trabalhos avaliados? Para gerar falsas expectativas nos concorrentes? Sem contar que o processo não contemplou trabalhos diversos em todos os Estados brasileiros, tornando o processo restrito ao casting musical nordestino que vem se destacando atualmente.

Tirando as desconfianças de arranjados culturais de lado e analisando cada trabalho selecionado, o processo poderia ser mais contemplativo de ritmos variados de outros Estados. Nessa perspectiva de localidade (e não de qualidade), Pernambuco, por exemplo, que conseguiu aprovar seis trabalhos renomadíssimos, a Orquestra Contemporânea de Olinda, DJ Dolores, Josildo Sá, A Trombonada, Aurinha do Coco e Mundo Livre S/A, choveu no molhado com tanta gente do Estado onde o evento é realizado.

Nesse caso, o público não terá tanto prejuízo, afinal são trabalhos profissionais. Mas fica valendo o adendo para que o projeto abranja outras localidades além do próprio território, já que é de ambito nacional e acolhe tantas inscrições. Se não, pouco essa cena musical independente aqui no Nordeste vai se reoxigenar das características sonoras pernambucanas. Eu gosto do som latinobregapoprockregional, mas temos mais diversidades do que isso na música popular brasileira.

Um comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

O mundo é uma negação.
Nunca estamos satisfeitos com o "maná" ...

Gostava de ouvir a "pife" ou "pifeira"?
Não interessa, quando chegar à idade dela também vou tocar pífaro.

Um bom fim de semana.