seguidores

10 de maio de 2010

BIGODINHO AMEAÇADO


TOCAIA - Aves alegres e diversificadas são esperadas pelos traficantes de animais, flagrados caçando indefesos como o bigodinho, pássaro que se pega em armadilhas, como os outros, atraídos pelo canto das fêmeas, geralmente já engaioladas. | imagem: Aramy Fablício

VALDÍVIA COSTA

Um habitat que todos os tipos de animais procuram pra se reproduzir, na intuição natural de desenvolver a espécie. Assim é o Brasil, berçário tipológico. Tanta beleza e liberdade tinha de ser castrada e liquidada pelo homem. Começaram pelas aves, com a caça predatória. Desde a colonização, as araras mais raras se extinguiram, caçadas. Na Paraíba, por causa desse hábito egocêntrico de prender um canto de passarinho, espécies migratórias estão sumindo, como o bigodinho.

Quem constata o fato é o ambientalista Aramy Fablício, da cidade de Fagundes, no Agreste. Sem pesquisa formal, mas com conhecimento do território onde mora desde criança, ele notou que correm risco de extinção aves migratórias como o caboclinho lindo, o papa-capim, a chorona, entre outras, que vêm se reproduzir na Paraíba no inverno. Desde 1970, ele percebe que, a cada ano, diminui o número dessas migratórias devido aos caçadores, que comercializam clandestinamente.

Aramy ainda ressalta que os capturadores de aves estão cada vez mais sofisticados, com gaiolas de oito alçapões e redes que capturam de beija-flor a gavião. Para esses negociantes, o que importa é a quantidade e a biodiversidade de aves capturadas. O mais preocupante, segundo o ambientalista, é que capturas ocorrem no período da reprodução.

"O alvo dos predadores é o bigodinho. Com um canto alto e belo, e de uma plumagem que chama a atenção, o pássaro habita campos abertos e se alimenta de sementes de capim. Geralmente, ele sai do seu habitat para se alimentar e se reproduzir aqui no Estado. O bigodinho demarca seu território onde faz o ninho, por isso é alvo fácil dos humanos, que o vendem e o exportam para outros países", ressalta Aramy.

Ele denuncia que, para conseguir capturar as aves, os predadores aliciam moradores da zona rural com dinheiro. Alguns jovens deixam de estudar para capturar animais e vender. Alguns caçadores também vêm de Pernambuco. Muitos moradores já têm consciência e expulsaram traficantes. "Mas, em outras cidades, os habitantes não sabem da prática ilegal", lamenta.

O alvo dos caçadores não é apenas ave migratória, mas as nativas, como o quase extinto azulão nordestino, o galo de campina, o xexéu de bananeira e outras. Como forma de amenizar esse descontrole na fauna paraibana, Aramy chama a atenção das autoridades. "Os governos deveriam investir em políticas socioambientais, melhoria na capacitação dos policias florestais, criar concurso público com critérios que atraiam pessoas interessadas na causa ambiental", pontua.

BIQUEIRA VELHA - "Mesmo com fiscalização de crimes ambientais, se não houver conscientização da sociedade civil para não comprar animais selvagens, pouco vai adiantar", atestou Aramy. Pensando nessa desinformação da população, ele criou em Fagundes projetos ambientais como o Biqueira Velha. São placas de zinco reaproveitado de biqueiras (calhas), escritas "PROIBIDO CAÇAR E CAPTURAR ANIMAIS", nas propriedades rurais.

Hoje, a maioria dos camponeses do município e cidades vizinhas aderiram ao projeto. Isso diminuiu os crimes ambientais na região, segundo Aramy. O sucesso desse projeto é tanto que fez surgir outro, o Natureza Livre, uma área de soltura de diversos animais na zona rural de Fagundes.

BOA MÍDIA - "Os meios de comunicação têm grande importância na conscientização da sociedade. Na Paraíba temos bastante apoio da mídia para nos ajudar nas causas ambientais", enfatizou Aramy. As apreensões realizadas pelo IBAMA e outros órgãos ajudam, mas a melhor prevenção é a informação para não caçar nem manter animais em cativeiro. As escolas estão longe de cumprir o papel de agente conscientizador, "pois pouco se vê educação ambiental nas aulas", desabafa.

ORIGEM - O bigodinho (Sporophila lineola), conhecido como estrelinha ou cigarrinha, é uma ave passeriforme da família Emberizidae e mede 11 centímetros de comprimento. Vive em descampados, plantações e à beira de capoeira. É uma ave migratória no Espírito Santo e Paraná, aparece em dezembro para nidificar e some em março ou abril. No leste do Maranhão e no Piauí aparece apenas de maio em diante. Também ocorre das Guianas e Venezuela à Bolívia, Paraguai e Argentina.

Contato: aramy.fablicio@gmail.com | 83.9955.5534 / 8868.7218
---------
Colaboração: jornalista Edimilson Camilo

14 comentários:

Toninho disse...

Q bom q temnos bons desdobramentos na mídia e iniciativas que cuidam dessa área ambiental.
Vamo q vamo!!

Aramy disse...

Parabens VAL pela sua sensibilidade de ver as coisas, fico muinto feliz em saber que tem pessoas como voçê e outros jornalistas que apoiam as chamadas causas abandonadas, estas criaturas inocentes não fazem mal nenhum ao homem estupido , que acha que é DEUS e não passa de um verme rastejante em silêncio, fazendo tudo quanto é de atrocidades , guerra santa em nome de DEUS, como se DEUS quisesse que seres brigassem , guerra fria , exterminio de animais por prazer, exterminio de humanos por ganância e poder, conduzindo toda natureza pra extinção, e ainda diz que é um ser civilizado, ferra tudo e todos e depois tentam comprar uma religião para se purificar, não entendo ?

Paulo Romero disse...

Olá amiga,

muito bom esse seu post.O nosso país deve fazer alguma coisa,para parar essa destruição desenfreada da nossa natureza,tão bela e tão frágil...,e as autoridades fingem que fiscalizam...e nós fingimos que acreditamos...

Parabéns pelo belíssimo blog...
Eu sou paraibano de São João do cariri,mas moro em João Pessoa...tenho um blog sobre criação racional de abelhas nativas...

www.urucueabelhasnativas.blogspot.com

Um abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB.

Anônimo disse...

Olá Aramy,pela primeira vez ví seu comentario no blog,entendo sua preocupação com as aves,todavia fiquei a me perguntar seria os projetos criados por você eficientes para coibir a captura de aves como o bigodinho?respeitando sua opinião.penso que a esta altura, com a cultura implantada pelos portugueses "domesticar aves silvestres" será que uma saída paliativa não seria orgãos competentes como o IBAMA,desenvolver uma política de reprodução em cativeiro,onde os amantes da criação em cativeiro pudessem comprar diretamente das autoridades e não de traficantes?
tenho acessado alguns sites,que argumentam veementemente a possibilidades de se reproduzir em cativeiro as principais aves desejadas por eles.proibição não educa; reprime acentuando ainda mais o crime por que o que é proibido é mais desejado é preciso legalizar,para que o crime perda força.Penso

oião disse...

awe to em parnaíba piuaí sou criador de bigode já peguei varios esse ano...

oião disse...

awe to com quatro bigode ferra.só pra pegar os bigodes toneiros.

oião disse...

aew esse ano aqui em parnaíba ja acabou os bigodes torneiros agora só os passageiros.

De acordo com disse...

Gentem, desculpem a demora em me pronunciar neste post, mas cheguei! Obrigada, Paulo, pela visita e por nos apresentar seu blog de apicultura, sucesso.
"Anônimo", só deixei seu comentário pq pensei q o Aramy voltaria a responder, mas, como não sei que és, tb não sou obrigada a responder. hehehe Não se ofenda, nada contra sua pessoa, "anônima"...
E o nosso querido amigo de Paraníba, Oião, que já veio aqui três vezes dizer que gosta de um bigode amoado... tá certo, Oião, pode pegar o bigode, que um dia o bigode te pega... quem se manifesta contrário à natureza recebe o troco... se tem algo que acredito nessa vida é no efeito VV.
Se cuidem!

oião disse...

awe seu zé mané eu crio com orden do ibama para poder tirar reprodoção em cativeiro por que aqui esta em estição.

De acordo com disse...

Zé Mané é vc, Oião! Sou mulher, se vc não percebeu! Se vc cria c autorização do Ibama, ótimo p vc. Vá cuidar dos seus bigodes e deixe a net p quem precisa mostrar o q acontece aqui debaixo dos bigodes das autoridades.

oião disse...

vamos salvar a natureza pricipalmente o bigodinho pelo seu belo canto.

oião disse...

awe tamos awe

Anônimo disse...

amigo concordo com vc lugar de ave é na natureza não em gaiolas
mas o maior culpado é o ibama e os fazendeiros que estão acabando com a nossa natureza
cade o mato grosso que hoje em dia só tem plantações e os rios todos poluidos
a culpa não é só dos caçadores não tambem é da policia ambiental e o maior culpado o ibama
gostaria de saber para que o ibama existe
ibama para mim só tem vagabundos e sem educação
vamos sim defender a nossa natureza sim
e lutarmos contra o ibama que é sim um cabide de emprego

De acordo com disse...

Certo, "Anônimo", vc tem total razão! Há um comodismo generalizado dos órgãos competentes e falta de fiscalização. Um dos pontos de venda que mais sobrevive (e mto bem) sem nenhuma interrupção, há décadas em Campina Grande-PB é a Feira de Passarinho, toda quarta-feira e sábado, no coração da cidade, em plena Feira Central. Todo mundo sabe, mas ninguém faz nada. :(