seguidores

4 de março de 2011

OUTRO PAIDALUAZINHO

HABITAT - Ave rara escolheu a Paraíba para procriar e terceira geração começa a aparecer. | imagem: Aramy Fablício
# Um pássaro raro, de jeitão diferente, escolheu a Paraíba para reproduzir-se. Parece que a empreitada dessa ave, o famoso Pai da Lua, está dando certo. Sua terceira geração nasceu. O que esse pássaro vê na lua pra ficar "em pé" nos tocos, olhando pra ela? Será uma ave boêmia, que se inspira no nosso satélite para criar?

A aparição midiática do primeiro pássaro dessa espécie, chamada Urutau-comum (Nyctibius griseus), na Paraíba foi há dois anos. O Pai da Lua mais velho aparecia todo protetor com o filhotinho, nas fotos. A ave conseguiu procriar próximo a um viveiro de saguis graças ao ambientalista Aramy Fablício, de Fagundes, região metropilitana de Campina Grande. Ele nos relatou aqui no blog sua saga no post O PAI DA LUA CRESCEU!

Lá em Fagundes, ele escreveu essa história de amor e dedicação em troca de nada material, apenas para salvar a fauna. Aramy aprendeu com a avó a identificar o canto do Urutau. "Não era horripilante como parecia", garante o ambientalista. Devido aos gritos fortíssimos, monossilábicos (groaa), repetidos de 10 e 20 segundos, ele ficou curioso por descobrir mais sobre a ave que alimenta-se de besouros e morcegos.

Alguns estudiosos descrevem a ave como da família dos nictibídeos, presente da região da Costa Rica à Bolívia, em todo o Brasil, Argentina e Uruguai. Chegam a medir 37 centímetros de comprimento.
 "A ave tá lindinha. O pai agora é o filhotinho da outra história (foto acima). Eu o conheço pelos pigmentos no peito, como digitais. Sempre um tem diferença dos outros e aquele pigmento é o mesmo. Morei próximo da criatura 41 dias e fiquei 30 com a ave com o ovinho", afirma Aramy, que prometeu enviar fotos da mais nova representante dessa família logo que o pai dela liberar.


ÁRVORES DE FAGUNDES
Outra batalha que Aramy está envolvido é com relação às árvores. Recentemente, a prefeitura de Fagundes mandou retirar todas as árvores ao redor de uma velha praça para reformá-la. Ao protestar pacificamente com faixas pedindo para não materam a flora, o ambientalista foi impedido de continuar por seguranças da prefeitura.

"Eram árvores crianças em relação às palmeiras imperiais do Jardim Botânico no Rio de janeiro, que tem mais de 500 anos; e às oliveiras no Jardim das Oliveiras, onde muitas estão com mais de 2 mil anos. Estas árvores cetenárias eram crianças e eram bem saúdaveis", diz.

Aramy acusou os seguranças e um funcionário da prefeitura de tê-lo agredido e denunciou o caso à polícia. A praça nova está lá, "um pedaço minúsculo para o valor milionário da placa com os serviços patrocinados pelo Governo Federal". Sem as árvores que poderiam durar milênios...
#valdívia costa

3 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

O Pai da lua é inspirado pelo Lua.
Não é ela (Lua) a manta que cobre os amantes?
Foi isso que aconteceu a esta ave.
Abater árvores?
É crime corriqueiro e mundano.
Não só aí, aqui e... em Espanha (Múrcia), onde abateram algumas palmeiras e deixaram as acácias que são uma praga...
Visões do dinheiro...

Um bom Carnaval.

Samuel Dias disse...

Val, estou aqui porque recebi um selo no meu blog e preciso repassá-lo a outros blogs que sejam merecedores dele. O Prêmio Sunshine Award é um incentivo da blogosfera a blogs como o seu, que enriquecem o universo cultural através da internet.
Sinta-se à vontade de ir lá e pegar seu selo.

Abração!!

Aramy disse...

Ambientalista ativista, ARAMY FABLICIO, Obrigado jornalista VALDIVIA, e parabéns pelo seu trabalho em fazer boas matérias , voçê transforma jornalismo em arte. >Não tinha visto esta matéria, ficou irada. PARABENS pelo serviço prestado as criaturas que são protegidas por lei mas só no papel, pois na pratica as atrocidades continuam. Tudo de bom e que o DEUS da natureza proteja todos nós.