seguidores

24 de novembro de 2007

*cinema* Rede de cineclubes da UNE chega ao Cuca de Campina



De 5 de novembro a 15 de dezembro o “Cine CUCA” percorrerá 27 estados brasileiros com sessões gratuitas. A oportunidade reativa as produções do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) de Campina Grande no próximo sábado. Esta é a primeira ação cultural dos cuqueiros este ano.

Cerca de 700 exibições gratuitas de oito filmes nacionais estão em exibição pelo Brasil através do projeto Cine CUCA até o dia 15 de dezembro. Na Paraíba serão 28 exibições. O circuito cineclubista chega com o lançamento hoje (25), a maioria em universidades, como forma de criar novos espaços para a exibição das recentes produções do circuito brasileiro e universitário de cinema. A formação de platéia para essas produções também é foco do projeto.

O alvo principal do Cine CUCA é a exibição dos longas. Baseado no livro de Frei Beto, “Batismo de Sangue”, o filme homônimo, premiado como melhor fotografia e melhor diretor (Helvécio Ratton) no Festival de Brasília 2006 e pela ANCINE, é um dos longas-metragens de destaque do evento. Outro filme recomendável é o “Conceição - Autor Bom é Autor Morto”, dirigido por seis alunos da Universidade Federal Fluminense, Daniel Caetano, Guilherme Sarmiento, André Sampaio, Cynthia Sims e Samantha Ribeiro.

Além dessas obras, os médias-metragens são outras produções que mostram peculiaridades brasileiras, como o Movimento Estudantil da década de 1960. “Ou Ficar a Pátria Livre ou Morrer Pelo Brasil”, é um que cumpre esse papel, com diversos fatos marcantes da história brasileira. Depoimentos de militantes e dirigentes de entidades representativas da classe, como Vladimir Palmeira e Rui César, preenchem o filme. Já os curtas vão explorar desde a Ditadura Militar, passando pelo Projeto Rodon na Amazônia atual e explorando atualidades da comunicação, como a Rádio Livre.

As apresentações estarão pela UFPB, UFCG e UEPB, de João Pessoa, Campina e parte do Sertão. A idéia é difundir a sétima arte, conforme o produtor cultural do Cuca de Campina, Ítalo Jones. O projeto viria só para Campina, mas ele e os outros cuqueiros puxaram o Cine CUCA para todo o Estado. “Ampliamos a difusão para outras micro-regiões da Paraíba no intuito de facilitar o acesso ao maior número possível de pessoas”, ressaltou.

Ele defende o aceso à arte. “Notamos que é muito limitado o acesso a essa atividade cultural em Campina e pensamos que outras cidades também possuíam a mesma dificuldade. Por isso a necessidade de estender o debate para o Sertão e a Capital”, concluiu.

O momento de crise vivido pelo cinema, principalmente em Campina Grande, com o fechamento do Capitólio e do Babilônia, foi propício para acolher um projeto de democratização ao aceso da artevisual, segundo ele. “Queremos espalhar a arte pelo fato da instituição física do cinema passar por dificuldades pela falta de incentivo e ausência de políticas que democratize o acesso a esse bem cultural. O fato de só ter cinema no shopping, já exclui uma boa parcela do público às produções”, enfatizou.

Cinema no Cuca CG
Não é a primeira vez que o espaço Cuca produz exibições cinematográficas. Em 2005, o projeto Cine BR foi lançado na cidade, também para mostrar produções independentes brasileiras. Na oportunidade, que pode ser conferida no arquivo do blog do Cuca, foi distribuído um questionário padrão para os presentes. Eles podiam optar sobre o projeto, os filmes e documentários e dar idéias, sugestões críticas etc.

No Cine CUCA é parecido. Só que o público vai preencher rapidamente um questionário para que os promotores do projeto conheçam melhor as pessoas que assistiram aos filmes. “Depois de preenchido, o formulário será recolhido e enviado ao banco de dados Nacional do projeto coordenado pelo Instituto Cuca”, acrescentou Jones.

Programação
Dia 24 – Pré - Lançamento do CINE CUCA (PB), no Centro Universitário de Cultura e Arte, às Margens do Açude Velho. Às 17h00, pré-lançamento com exibição do longa: “Batismo de Sangue”. A programação cultural segue com a campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, promovido pelo grupo de estudos de Gênero, Flor e Flor. Cátia de França comandará a Festa Lilás.

Dia 25 – Lançamento do CINE CUCA (PB) em parceria com o Circuito Cultural da Universidade Estadual da Paraíba, no Centro Universitário de Cultura e Arte. Apartir 15 horas, com as atrações: Fredi e Felipe fazendo dueto de viola, Rangel Júnior, Grupo Acauãn da Serra, Grupo de Teatro da UEPB fazendo exibições da peça Medéia, exibição do Longa “Conceição: Autor bom é Autor morto!”

Dia 26 - Início da etapa intinerante nas universidades- Faculdade de Direito UEPB – Exibição de curtas e do Longa “Batismo de Sangue”

Dia 27 – Por volta das 9h30, no CEDUC I da UEPB (próximo ao viaduto), os curtas “Canil, ocupação a marretadas”, “Não é só uma passagem”, e o longa “Ou ficar a Pátria Livre ou Morrer pelo Brasil”. Às 11h00 começa um debate livre com tema a definir. Já no anfiteatro do DCE (UFCG), no bairro do Bodocongó, as atividades começam a partir das 14h00, com o longa “Cão sem dono” e um curta a escolher. À noite, voltando ao CEDUC I, a partir 19h00, outro curta e o longa “Batismo de Sangue”. Ao final, novamente um debate livre.

Dia 28 – No DCE da UFCG, a programação começa a partir das 14h00. O longa “Ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil” será exibido. Ás 15h30, outro debate. No mesmo campus universitário, na Pracinha do Centro de Humanidades, “Batismo de Sangue”.

Dia 29 – Haverá exibição na faculdade de Comunicação Social (UEPB), no bairro do São José, uma boa fábrica de produções documentaristas estudantis. A partir das 9h30, o curta “Manual Rádio Livre” e o longa “Conceição”. À tarde, os filmes vão rolar no Anfiteatro do DCE, a partir das 14h00, com o curta “Projeto Rondon e longa “Batismo de Sangue”. Retornando à faculdade de Comunicação, haverá a exibição, às 19h00, do curta “Rádio Livre, isso não é só uma...” e o longa “Cão sem Dono”. Debate às 20h30.

Dia 30 – O Departamento de Artes (Dart) também entrou no Cine CUCA e vai apresentar uma exibição, às 10h00, do curta “Rádio Livre e do longa “Conceição”. Em seguida, debate.

Dia 03 de dezembro – A partir desta data, o evento estende-se ao redor de Campina.
Em João Pessoa, na UFPB, vão rolar oito exibições e a programação será inserida no RacioCINE.

Dia 10 – É a vez do campus da UEPB de Guarabira, no Sertão paraibano, receber o Cine CUCA. O Centro de Humanidades fará a exibição a partir das 9h30, com o curta: “Canil, ocupação a marretadas” e o longa “Cão sem Dono”. Às 19h00, o curta: “Não é só uma passagem” e o longa “Batismo de Sangue”.

Dia 11 – Ainda no Sertão, em Patos, a UFCG vai sediar o evento. A partir das 14h00, os curtas “Canil” e “Passe Livre” e o longa “Conceição”. Á noite, no mesmo local, a partir das 19h00, os curtas da tarde e o longa “Batismo de Sangue”.

Dia 12 – No Alto Sertão, em Sousa, à tarde, “Projeto Rodon” e “Batismo de Sangue”. Á noite, exibição de “Canil”, “Passe Livre” e “Cão sem Dono”

Dia 13 – Continuando no alto Sertão, em Cajazeiras, a partir das 9h30, “Passe Livre” e “Ou ficar a Pátria Livre”.

No dia 14, o som do artista e produtor cultural do Cuca, Toninho Borbo, precederá os média e curta-metragens, respectivamente, “O afeto que encerra nosso peito juvenil” e “Canil” e “Passe Livre”. Toninho lança o seu projeto apoiado pelo Fundo Municipal de Incentivo à Cultura (Fumuc), o primeiro CD profissional chamado Para Fins de Mercado.

Dia 15 – O encerramento será no Cuca de Campina com várias atrações artísticas locais.

O que é o Cine CUCA? - O Cine CUCA é promovido pelo instituto Circuito Universitário de Cultura e Arte (que também é CUCA e é da UNE), uma rede formada por dez núcleos de Pontos de Cultura espalhados pelo país. O projeto vai ser recebido por mais de 60 universidades brasileiras. A série de sessões é seguida de debates e palestras que discutem a recente produção cinematográfica nacional. Em cada Estado, duas instituições, federal e particular, serão selecionadas para participar. O projeto é itinerante e quer fomentar a formação de cineclubes estudantis.

FILMES - Os longas-metragens selecionados propõem a reflexão de temas ligados à juventude e à produção universitária. São eles, "Batismo de Sangue", de Helvécio Ratton; "Cão Sem Dono", de Beto Brant; "Conceição, autor bom é autor morto".

Os médias-metragens "Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil" e "O afeto que se encerra em nosso peito juvenil", do diretor Sílvio Tendler, documentam a história política e cultural da UNE.

O projeto dará espaço também aos curtas-metragens universitários vencedores do Prêmio Curta CUCA, promovido de março a agosto deste ano. "Reforma Universitária", de Felipe Peres Calheiros (PE); "Manual Rádio Livre", de Tiago Machado Carneiro (DF); "Canil – Ocupação a Marretadas", de Paulo Gomes e Silva (SP); "Não é só uma Passagem", de Igor Pontini Mesquita (ES) e "Projeto Rondon", de Madson Darkis da Silva Oliveira (PR), foram os escolhidos.

CINECLUBES - É um ousado iniciativo de resgatar a cultura dos cineclubes, “projetos que deram muito certo nas décadas de 60 e 70 e que mantém até hoje uma estrutura bacana formada em torno de entidades e associações", como definiu o coordenador geral do CUCA, Tiago Alves. "Cinema, debate e universidade são três eixos importantes para pensarmos, juntos com a juventude, os principais problemas da nossa sociedade, como a violência e as drogas", define.

As cerca de 700 sessões gratuitas serão realizadas por uma rede de 27 “agentes cineclubistas”, um de cada Estado, identificados nas universidades e capacitados pelo projeto. Eles se encontraram no início deste mês, num seminário no Rio de Janeiro, para afinar as idéias, tirar dúvidas e participar de um treinamento que abordou todas as etapas de uma exibição.

Em Campina, o articulador foi Ítalo Jones. Ele foi quem mobilizou a equipe do Cuca de Campina com agenda e divulgação do Cine CUCA. “O objetivo é manter essa rede de agentes interligada, mesmo após o projeto, para dar corpo ao circuito cineclubista universitário, que poderá ser organizado e atuante”, enfatizou Jones.

Audiovisual do CUCA - O Cine CUCA faz parte do programa do Audiovisual do CUCA, que tem iniciativas voltadas para o cinema nas universidades, como a criação de cineclubes, produção em cinema e a aparelhagem de espaços ociosos. Teatros e auditórios mal utilizados podem ser tornar espaços dedicados à sétima arte.

A produção dos Cine-jornais também será incentivada durante o evento. Discutir a imagem da juventude brasileira e a realidade na qual está inserida, alimentando o público de novos questionamentos, novas lutas e novas revoluções, faz parte dessa nova linha de atuação.

CONTATOS:
CAMPINA: Ìtalo Jones (8830-8458)
NACIONAL: Tiago Alves, cordenador-geral CUCA (21-8735-7143)
Alessandra Stroop, audiovisual do CUCA (21-9878-1984)
Rafael Minoro, assessor da Une, (11-8580-9179)
www.une.org.br / www.cucacg.blogspot.com
redação@une.org.br / imprensacuca@yahoo.com.br

Um comentário:

CresceNet disse...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. If is possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll, I thank. Good bye friend.