seguidores

7 de junho de 2009

*opinião - "blogs de jornalistas não funcionam" - JULIO DAIO


IROU! - Julio Daio Borges, do Digestivo Cultural, não gosta de jornalista oportunista, que vira blogueiro por diversos motivos, menos por ter jeito ou vontade de fazer a coisa

Atentem para este texto. Ele recebeu mais de 12900 acessos e obteve 28 comentários no Digestivo Cultural. Serve para nós, jornalistas, refletirmos sobre esta condição transitória de ser posto na berlinda: qualquer um pode executar, e muito bem, em determinadas situações, a atividade jornalística. Julio Daio Borges*, em setembro de 2006, escreveu de São Paulo para o site. O cara estava com uma fúria que me senti culpada por ser jornalista e ter um blog!

Mas logo descobri, ao ler o texto, que a crítica é direcionada aos jornalistas que entram na blogosfera como quem está experimentando uma roupa. "Se cair bem, eu compro, se não, jogo na bandeja de volta". Isso aqui não é brincadeira. Dá trabalho manter relacionamentos virtuais. Tem que se dá o devido respeito e função a coisa, se não, vira um diário velho que a pessoa só escreve de ano em ano. Blog desatualizado não está com nada. O negócio é colocar a mão na massa por alguma informação massa também, pra o internauta ficar, ler o que você está escrevendo, e não somente visitar o seu blog de ano em ano.

VEJAM ---------------------------------------------

De repente, a imprensa toda descobriu os blogs... Baixaram um decreto-lei em cada redação e, impreterivelmente até o final do ano, todo jornalista tem de colocar seu blog no ar. Todo. “Mas, pera lá, eu vou blogar sobre o quê?” “Ah, sei lá, não importa: blogue! Inscreva-se no Orkut, visite os fotologs, abra uma conta no Gmail, compre até um iPod se for necessário... mas blogue!” “Como assim ‘blogue’? Eu preciso saber por quê...” “Ora, porque toda a concorrência está blogando – que-nem-lou-ca! Ah, sei lá, por quê... Blogue!”.

E lá foram os jornalistas blogar... Mas jornalista que é jornalista não entende nada de internet, tem preguiça: fugiu dela enquanto pôde, torceu para que a Bolha mandasse a tal “nova economia” pro espaço... Mas, mesmo com a Bolha que enterrou a euforia das pontocom em 2000, a imprensa jamais recuperou seu antigo posto... Outra bolha se formou e os jornalistas têm agora de, inescapavelmente, blogar!

Mas não sejamos injustos. Alguns jornalistas entenderam pra que serve o blog, isso se já não internetavam antes... Então esta crítica não vale para todos, absolutamente todos: vale para uma grande maioria que está blogando por obrigação, quase se arrastando, já que passou os últimos anos menosprezando a internet e, agora – muito a contragosto –, tem de fazer parte... (Depois não entende por que seu blog não funciona...)


---------------------------------------------
Júlio continua sua opinião afirmando (e justificando) os seguintes tópicos:
>Jornalistas não lêem blogs;
>Jornalistas não sabem lincar;
>Jornalistas não estão acostumados a ter leitores;
>Jornalistas não estão acostumados a ter resposta;
>Jornalistas são interesseiros e, não, desprendidos.

LEIA O TEXTO TODO AQUI.
Leia também "Blogs de jornalistas reloaded".

*Julio Daio, 35, foi graduado em Engenharia de Computação, pela Escola Politécnica da USP, em dezembro de 1997. Foi "redação nota dez" da Fuvest, em 1992. Escreve diariamente. Trabalhou de 1996 a 1997 na então incipiente Monitor (MGDK), como estagiário na área de suporte. Em 1998, no Banco Itaú, produzindo sistemas para a mesa de operações. E, de 1998 a 2001, no Banco Real, na Controladoria do Escritório Regional da América Latina (ROLAC), do então ABN AMRO Bank. Ocupando funções jornalísticas, o engenheiro da computação elabora a redação de Digestivos e mensalmente colunas e entrevistas (perguntas). Ele também supervisiona os colunistas, ensaios e comentários. Elabora os releases e editoriais. Julio também faz a concepção das matérias especiais e a postagem diária no Blog. Ele veicula os anúncios e programa o site. E ainda faz a administração da JDB Editora e Participações LTDA. (empresa que abriga o Digestivo, desde 2003).

Um comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

A vida de jornalista não é comunicar?
Por que não blogar?
Há jornalista tipo papagaio que só emite o que recebe, mas a grande maioria tem miolos e sabe raciocinar.
Muitos até demais.
Deturpam a verdadeira notícia e moldam-na à sua caneta.

Mas a grande maioria escreve ... palavras que só ele sabe alinhar e colocar nas linhas de qualquer folha de papel.
Que blogue e transmita o seu interior.
Até faz bem ao "ego"