seguidores

16 de agosto de 2009

*filosofia - Campina tem um Largo da Boemia


NOTURNO - o local parece um centro de vivências, cercado de luz e tranquilidade, um espaço diferenciado de tudo o que se viu em termos de bar na cidade

*texto e imagens: Valdívia Costa

Se era pra guardar segredo, não sei. Mas quando se acha um lugar diferente, dá vontade de sair contando pra todo mundo. Quem me apresentou o ambiente como um bar foi o amigo professor Fabrício (Dudu Galena). Quando entrei lá, me deu uma sensação de estar voltando em algumas passagens do tempo. Peças, quadros, piso, movelaria... tudo é retrô, inclusive com um toque ecológico, devido a alguns reciclados. Falo do Largo da Boemia, um espaço que vende bebidas e comidas, mas que serve mesmo para se conversar, ouvir uma excelente música e ver artistas, intelectuais, filósofos de fim de semana etc.



Não tem nome ainda na frente, mas já está funcionando desde o final de junho no centro de Campina Grande. "Pra ser exato, começamos como bar mesmo no dia de São Pedro (29)", lembra o proprietário Walter Tavares. É, o ator. Aquele que chegou a escrever o espetáculo infantil-ecológico "Cumadi Fulozinha não mora mais aqui", montado e apresentado em Campina Grande e no Rio de Janeiro, em 1992.



Dá pra notar que o ambiente é acolhedor e que tem uma constante valorização por gatos. São os mimos da casa. A gente entra, eles já estão lá, sentados ou andando tranquilamente pelo ambiente. "Eram moradores das ruas. Mas agora são domésticos, limpos e felizes", completa Walter. Ele montou uma coleção só com peças gatais. Mas isso não é a marca do lugar. Walter insiste na boemia, no aspecto de "cabaré francês" que ele quis dar ao bar, como o do antigo Cassino Eldorado, da feira central.



Todos os que estão frequentando o Largo da Boemia aprovaram a decoração plural e vasta. "A sala mais desestressante oferece espreguiçadeiras com bancos pra você fumar um cigarro e relaxar", brincou Dudu.



Walter quer movimentar o ambiente com discussões. "A cultura anda calada na cidade. Convido aos artistas a conversarem sobre ela, a formularem seus novos projetos culturais no Largo da Boemia", disse. O empreendedor propaga que, mais do que um drink ou uma bebida, o bar oferece recintos tranquilos e refinados, com livros e revistas pra se folhear.



A visão sempre à frente levou Walter a inverter a ordem de bar comercial para ambiente de conversas. "O lugar nasceu pela mesmice teatral da cidade, que já foi celeiro de artistas e produções, e hoje não vemos mais representatividade teatral", lamenta. Não é só o Largo da Boemia que ele imaginou. Walter projeta fazer algo nos largos das Boninas, com seus prédios de fábricas em estilo "bolo de noiva", da Estação Velha com seu maquinário da era do algodão, e da Pororoca, centralmente localizado na história de Campina Grande.



A arquitetura do Largo da Boemia é eclética, mais voltada ao Art Dèco, comum no centro da cidade. O piso do bar é psicodélico, remete às casas de 1940-50, segundo o empreendedor, que acredita ter deixado com a casa a visão de lucro fácil. "O bar é um lugar de acolhimento. Se ele fizer história, somente em ser comentado, já valeu a pena", explica Walter.



Não é a primeira vez que ele monta um bar. Em 1980 em Olinda (PE), o "Anjo avesso" também foi feito com a mesma filosofia. Envolvido que estava com arte, o dono do negócio desceu a ladeira de Olinda atrás de um bloco e "abandonou" o empreendimento. "Quando voltei não tinha mais ninguém. Tive prejuízo e resolvi voltar ao teatro", complementa.



Para chegar à estrutura abundante de peças artesanais, quadros, máscaras, estátuas, biscuis, louça e outras coisinhas mais, Walter teve que juntar o que ele tinha, com o que a mãe guardava e com o que vai aparecendo. O resultado visual é de cada espaço ser um mundo distante e diferente do outro, de onde você saiu e do que está visualizando e querendo entrar.



"Queria dar uma ideia de cenário. Decorei tudo pelo aprendizado que tenho do teatro. Depois pensei em causar um turbulhão de imagens retratando todas as culturas", explicou Walter. Apesar de muita peça e muita cor, o caos não se instalou. Ao contrário, tudo no bar é organizado e limpo. O sócio de Walter, Diego Lyra, é quem dá mais um tom cordial e amigável ao local.



Das noitadas cariocas, o bar remete a um pouco de cada coisa. Horas você tem a sensação de estar num buteco de Nova Iorque, horas é num do Rio de Janeiro. Jazz e blues tocam direto. O idealizador do local pensa em organizar a parte sonora em dois momentos, um de muita coisa retrô (1940-1980) mecânica e outro do que há de mais atual, ao vivo, num dos salões do bar.



Para se deleitar nas poltronas em estilo clássico colonial, muito bem arrumadas, o cliente pode escolher entre mais de 300 CDs, fora alguns vinis que foram transformados em CDs. Na gastronomia, há também a diferença, com os sanduiches de salame italiano e de carne de sol e no futuro investimento no café com beijú e tapioca. Bebidas tem o trivial, mas vão fazer coquetéis não alcoólicos e bebidas quentes, como o chocolate.



PROJETOS
O Largo da Boemia vai se unir aos principais eventos culturais da cidade, a Nova Consciência, o Festival de Inverno e o Maior São João do Mundo. A ideia é fazer exposições artísticas no bar com temas variados. Como incentivo ao ambiente, Walter quer fazer um desfile-show com trabalho cidadão, voltado para a pesquisa e arte.



Para o mês, o bar já vai trazer uma novidade, a Parede da Fama. Um grande painel onde as pessoas poderão deixar suas mãos como assinaturas. E na Nova Consciência de 2010, a perspectiva é montar uma exposião temática do evento e fazer uma apresentação teatral de bolso, que são pequenas esquetes.



JORNALISTA E ATOR
Walter Tavares possui prêmios e trabalhos que se destacaram na cidade de nacionalmente. Formado em Comunicação Social e como ator/artista, ele começou a carreira cultural em 1980, quando assumiu a assessoria da prefeitura de Campina Grande, trabalhando na montagem do Museu Histórico da cidade. Até o ano passado, Walter trabalhava com assessoria de imprensa, deixando tudo para se dedicar ao empreendimento boêmio.



Desde o início da atuação, ele integrou o grupo de teatro da Universidade Federal da Paraíba do Departamento de Artes (Dart). De 1988 até os dias atuais ele é indicado a prêmios nacionais no Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e outras cidades nordestinas além de Campina. Em 1997, ele ganhou a menção honrosa do Ministério da Cultura (MinC) pelo trabalho de restauraçao e ampliação do Museu Histórico da Serra da Borborema.



SERVIÇO
O bar funciona de terça a sábado, a partir das 18h00
Rua Epitácio Pessoa, 205, centro
8870-3641 - Walter Tavares
waltinho_tavares@hotmail.com

10 comentários:

alemdonlead disse...

Nossa, menina...estou fascinada...eu quero ir!!!! Valeu Val!

dudupb disse...

Ainda bem q campina resiste e nos surpreende com essa beleza de bar
bom trabalho val

Toninho disse...

Muito bacana o espaço.
Valeu pelas fotos, super legais.
Bjo.

Karin disse...

Oi! Obrigada pela visita e pela linkada. Amei este post e este bar muito style!
Beijo de SP.

Fabrício Santana disse...

Estou simplesmente encantado com este espaço. Nem imaginava que poderia existir em Campina um ambiente tão requintado. E parabéns, Val, por ter nos apresentado esta preciosidade. Com certeza irei conhecer! Um grande abraço!!

DIEGO LYRA disse...

valeu val...o post ta mto legal...
depois da uma olhadinha no blog q eu to fazendo do bar!

www.largodaboemia.blogspot.com

depois me fala oq achou!

Anônimo disse...

.VALTER COM CERTEZA EU Ñ FIQUEI SU- PRESO POIS EU SEI O QT VC É DETA- LHISTA E DE UM BOM GOSTO IMPAR COM CERTEZA IREI VISITAR E LEVAREI MEUS AMIGOS PRA PASSAR MOMENTOS DE DESCONTRAÇÃO.ABRAÇÃO

EDILSON disse...

.WALTER Q LEGAL O SEU PROJETO,Q BOM PODER TRABALHAR COM PRAZER E O MELHOR PROPOCIONAR PRAZER,COM CERTEZA IREI JUNTO COM UMA GALERA COM ENEGIA POSITIVA,VC MERECE .DO SEU ADIMIRADOR EDILSON

Hulda Farias disse...

Que bom que voltamos a ter um lugar interessante em Campina.
É como poder voltar as noites campinenses dos anos 80.
Hulda Farias

www.Cia.Alexandre fialho.Arte & dance disse...

Um amigo elogiou o ambiente e pelas fotos comprovei; muito orgaizado, limpo,pelo visual bastante atrativo. Sou ATOR e breve estarei participando desde espaço que Campina estava merecendo. Val grande abraço!