seguidores

7 de outubro de 2009

*ecológico - Marley e a brincadeira reciclada



DISCO VOADOR - feito com pires de plástico que ia para o lixo, o disco voador do adolescente vai aterrizar no Sertão paraibano | imagem: Val da Costa

por Valdívia Costa

É comum ver crianças e adolescentes se reunindo em lan houses para jogar na Web por horas. Mas ver uma criança construindo seus brinquedos com caixas de fósforo vazias, por exemplo, está fora do padrão atual de brincadeiras. Foi pensando em criar um mundo com brinquedos diferenciados, ecologicamente corretos, que Marley Lucena entrou na contra-mão do ciberespaço. Com apenas 13 anos de idade, ele vai fazer sua primeira oficina de brinquedos reciclados no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) de Sousa, no Sertão paraibano.

Nos dias 11 e 12, próximos domingo e segunda-feira, Marley vai ministrar a Oficina de Arte-Construção de Brinquedos Populares para 30 crianças da cidade. A ideia partiu da direção do Centro, que buscava algo diferenciado para mostrar ao público infanto juvenil. A partir de sacos de plásticos, daqueles de supermercados, Marley constrói bonecos que sevem também para representar em seus teatrinhos de cenários inventados com papelão e garrafas pet.

"Eu via na garrafa pet formas que quem estava jogando-a fora não via. Desde pequeno, eu comecei a pegar esses materiais e a transformá-los em brinquedos. A primeira brincadeira que me deixava horas quieto era com massa de modelar. Achava interessante pegar um pedaço de massinha e transformar em vários brinquedos", contou o arte-educador.

A primeira experiência com arte-educação foi aos 11 anos. Ele estava na 6ª série quando surgiu a oportunidade de fazer uma apresentação sobre a importância da leitura para crianças da 2ª série. "Eu gostava de brincar com as artes em todo trabalho que eu fazia na escola e com esse não seria diferente. Pedi a professora para fazer um teatrinho com material reciclado e ela aprovou a ideia. A reação da molecada foi legal, eles adoraram o cenário de papelão e eu vi que isso era interessante de mostrar", lembrou.

Apesar de estar indo por onde quase ninguém da idade de Marley vai, ele ainda tem a consciência de que, continuando a passar seus conhecimentos de arte e construção de brinquedos, o mundo também pode se livrar de algumas peças que sempre encalham na terra como lixo. "Ajudo ao meio ambiente a respirar e alivio o bolso também, porque não precisa ficar comprando tudo o que eu vejo por aí", concluiu.



VIRTUAL - Apesar de usar a internet às vezes, para olhar o orkut e um único e-mail, Marley não deixa de olhar coisas interessantes na Web. Em breve, o arte-educador vai montar um blog com seus trabalhos e fotos das oficinas e das peças que ele já construiu. "Gosto de ler as coisas da internet. Só não tenho paciência de ficar muitas horas olhando, prefiro andar de bike ou brincar na rua", resumiu sorrindo.

Oficina de Arte-Construção de Brinquedos Populares

domingo, dia 11
14h00 - 1h20min

segunda-feira, dia 12
10h00 – 1h20min
14h00 – 1h20min

2 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

Um pequeno grande ser que inicia a vida a reciclar, na sua arte-educação.
Quando a idade dá para brincar, "banca" de adulto e com sucesso.
Um acto isolado que se fosse seguido e tivesse muitos sucessores, talvez modificasse a maneira de pensar de muitos.

Gostei
Um abração e boa semana.

emanoella_alves disse...

Filho de peixe, peixinho é... lembrei de um bob esponja feito de esponja de cozinha colorido com aquarela, que uma vez quase sento em cima... e olha que Marley era um cotoquinho de gente.
Que ele continue pensando consciente, reaproveitando tudo e evitando o consumismo. O verdadeiro desenvolvimento sustentável...